Perseguindo a tempestade: cientistas estudam fenômenos meteorológicos raros para melhorar as previsões

Perseguindo a tempestade: cientistas estudam fenômenos meteorológicos raros para melhorar as previsões
Advertisements

[ad_1]
A previsão do tempo já percorreu um longo caminho desde a época em que se usava o comportamento animal e a sabedoria popular para prever as tempestades que se aproximavam. Hoje, os meteorologistas contam com uma combinação de instrumentos de alta tecnologia, modelos computacionais e anos de pesquisa científica para fazer previsões precisas sobre o clima. Mas apesar de todos estes avanços, ainda existem alguns fenómenos meteorológicos que permanecem indescritíveis e imprevisíveis. É aí que entra um grupo de cientistas intrépidos, que passam os dias perseguindo tempestades para estudá-las de perto e pessoalmente.

Esses caçadores de tempestades não são os aventureiros que você vê nos filmes de Hollywood, dirigindo de forma imprudente no centro de um furacão em busca de emoções. Em vez disso, são investigadores dedicados que se colocam em perigo para recolher dados que ajudarão a melhorar a nossa compreensão de acontecimentos meteorológicos raros e, em última análise, levarão a melhores previsões.

Advertisements

Um desses grupos de caçadores de tempestades é o Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica (NCAR) em Boulder, Colorado. Esta equipe de cientistas e engenheiros viaja pelo país em veículos especializados equipados com instrumentos meteorológicos, sistemas de radar e câmeras de alta resolução para rastrear e estudar tempestades severas, tornados, furacões e outros eventos climáticos extremos. Ao se aproximarem desses fenômenos, eles conseguem coletar dados em tempo real que não podem ser obtidos apenas com imagens de satélite ou modelos de computador.

Um dos principais objetivos da pesquisa sobre perseguição de tempestades é melhorar nossa capacidade de prever eventos climáticos severos e fornecer alertas antecipados às comunidades no caminho de uma tempestade. Ao compreender a dinâmica destes fenómenos meteorológicos raros, os cientistas podem desenvolver modelos computacionais mais precisos que podem prever melhor quando e onde uma tempestade irá ocorrer. Esta informação pode então ser usada para emitir avisos oportunos aos residentes, dando-lhes a oportunidade de procurar abrigo e permanecer seguros durante um evento meteorológico potencialmente perigoso.

Além de melhorar as previsões, o estudo de fenómenos meteorológicos raros também ajuda os cientistas a compreender melhor as causas subjacentes a estes eventos e como podem ser influenciados pelas alterações climáticas. Por exemplo, investigadores do NCAR têm estudado o papel das alterações climáticas na formação e intensidade de furacões, tornados e outras tempestades severas. Ao recolher dados sobre estes eventos, podem avaliar melhor como o aquecimento global pode estar a afectar a frequência e a gravidade dos eventos climáticos extremos no futuro.

Embora perseguir tempestades possa parecer um trabalho para viciados em adrenalina, os cientistas que realizam este trabalho são movidos pela paixão pela compreensão do mundo natural e pelo compromisso de proteger as vidas e propriedades daqueles que estão em risco devido às condições climáticas severas. Ao estudar fenómenos meteorológicos raros de perto e pessoalmente, estão a ultrapassar os limites do nosso conhecimento e a trabalhar para um futuro onde possamos prever e preparar-nos até mesmo para as tempestades mais violentas.
[ad_2]


Descubra mais sobre Clima e Previsão do Tempo

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

Advertisements
By Murillo Pereira

Redator e Criador de Conteúdo, Entusiasta Tech e Publicitário Digital.

Descubra mais sobre Clima e Previsão do Tempo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading